top of page

HENRY FORD, A SEGUNDA GUERRA MUNDIAL E MANUTENÇÃO INDUSTRIAL






Você deve estar se perguntando: O que a Manutenção Industrial tem a ver com Henry Ford e a Segunda Guerra Mundial? – A resposta é: Tudo a ver!


A história da Manutenção começa com a mecanização das indústrias no final do século XIX. Até 1914, a Manutenção tinha importância secundária e era executada pelo mesmo efetivo de operação.


Com a implantação da produção em série, instituída por FORD, as fábricas passaram a estabelecer programas mínimos de produção e, em consequência, sentiram a necessidade de criar equipes que pudessem efetuar reparos em máquinas operatrizes no menor tempo possível. Assim surgiu um órgão subordinado à operação, cujo objetivo básico era de execução da Manutenção, hoje conhecida como Corretiva.


Esta situação se manteve até a década de 30, quando, em função da Segunda Guerra Mundial e da necessidade de aumento de rapidez de produção, as indústrias foram forçadas a se mecanizarem como nunca, e a exigirem competências técnicas e gerenciais de alto nível. Essas organizações começaram a ficar dependentes da manutenção, na medida em que uma produção intensa e com qualidade era esperada. A alta administração industrial passou a se preocupar, não só em corrigir falhas, mas em evitar que elas ocorressem. Com isso, o pessoal técnico de Manutenção passou a desenvolver o processo de Prevenção de avarias que, juntamente com a correção, completavam o quadro geral de Manutenção, formando uma estrutura tão importante quanto à de operação.


Espero que tenha aproveitado o conteúdo deste artigo. A nossa intenção é sempre postar artigos do seu interesse. Por isso, fique sempre atento e sinta-se à vontade para fazer seus comentários!


1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page